COMPARTILHAR

CONTAS E MAIS CONTAS

 

Por Enio Trevizani

09 / 03 / 2014

Foram divulgadas durante a semana, as quantias em dinheiro pagas pela prefeitura sobre uma matéria realizada pelo jornal Folha de Londrina e o Carnaval procopense.

Por conhecer um pouco sobre eventos, achei até que foi justo o valor de R$ 96.550,00 pago a toda infraestrutura do evento para quatro dias de festa, ao contrário dos anos anteriores, que foi um verdadeiro derrame de dinheiro para um carnaval muito mais humilde.

os sete mil reais aplicados em um jornal para divulgar o aniversário da cidade é um exagero penso eu. O alcaide deveria descer do “Olimpo” e colocar os pés no chão, pois isso vai virar uma das armas contra a sua futura campanha para a reeleição, entre outras.

Falando em Carnaval, entre mortos e feridos, quase todos se salvaram neste ano, menos a imagem da Polícia Militar que desceu a avenida e foi parar no buracão da Rua Paula Gomes, devido à prepotência do comando da instituição, que colocou soldados comuns, mais acostumados com a bandidagem, para controlar bêbados e arruaceiros, deu no que deu.

Para um público esperado de quarenta mil pessoas, uma equipe especializada da PM em conter tumultos de rua deveria estar de prontidão, isto é básico, pois em eventos de grande porte, o risco de ocorrer balburdias e enfrentamentos é real. De qualquer forma, nossos soldados da Polícia Militar continuam com a credibilidade no combate a criminalidade na cidade e os dados estão aí para qualquer um analisar. Inclusive eles andam prendendo assaltantes, mesmo em dias de folga, o que é um exemplo e deve ser reconhecido pela sociedade.

Outra baixa de carnaval foi o posto de saúde que foi depredado por vândalos sem educação e sem consciência, que resolvem jogar as suas frustações no patrimônio público que foi criado para atender o público, algo que a Santa Casa estava evitando fazer por puro descaso.

Agora o que eu acho estranho que os comentários sobre os gastos públicos são dirigidos exclusivamente ao prefeito e a sua habilidade em governar, enquanto em 2013, os vereadores da cidade gastaram os mesmos noventa e seis mil reais em viagens, não trazendo nenhum resultado satisfatório se quer.

Tem funcionário da câmara que gastou entre seis e sete mil reais em viagens e ninguém sabe para qual fim, isto ninguém comenta, curioso não?

Espera aí, um erro não justifica o outro, Fred não vem fazendo uma administração brilhante, longe disto e eu não estou aqui para defendê-lo, ele nem precisa disto, já tem muita gente a sua volta fazendo bajulação proselitista, o que é hilário às vezes, outras não, são lamentáveis. Deveria haver um sistema de dois pesos e duas medidas, contudo, em Cornélio Procópio a regra é diferente, não há coerência, aqui o alvo é um e “vamos malhar o Judas”, deixando as outras coisas que ocorrem de errado de lado, “os fins justificam os meios” e qualquer coisa fora disto é tabu.

Até funcionário da prefeitura que perde a casa vira comentário maldoso contra o prefeito, em evidente exercício diário para atacá-lo, patrocinado por “forças ocultas”. Do outo lado, em uma situação mais confortável, os nobres vereadores brindam o seu esquecimento e continuam com seus caprichos às custas do dinheiro público.

Esta ablepsia procopense causada principalmente por sua evidente megalomania crônica, onde aqui tudo é o maior e melhor do mundo, como defendem seus pseudos intelectuais, sendo uma "metrópole" plena de refêrencias estraordinárias, conhecida no universo inteiro, até em Vulcano, terra da ciência e da lógica, que dá a autoridade e direito a qualquer cidadão de sobrepujar a lei e arrostar quem defende a ordem pública, está deixando o município em frangalhos, apesar da campanha geral que maquia os verdadeiros fatos para iludir o contribuinte, que paga as contas citadas acima, mas “em terra de cego, quem tem olho é rei” e o só o tempo vai nos mostrar as consequências dos atos de nossos atuais administradores públicos e a mendacidade que paira sobre seus mradores.

 

PENSE NISTO!!

CURTA NO FACEBOOK E FAÇA O SEU COMENTÁRIO!!

® Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.


Visitantes On Line

 

Copyright® 2013 - 2014 Crônicas Procopenses

Todos os Direitos Resevados - Cornélio Procópio - Paraná