SINAL DE RÁDIO VINDO DE ROSS 128, ESTRELA A 11 ANOS-LUZ DE DISTÂNCIA, INTRIGA ASTRÔNOMOS

Por Folha/PCS /Foto: SETI Institute

24 / 07 / 2017

Éo próximo número sorteado no imprevisível bingo da busca por inteligência extraterrestre é: Ross 128. Recentemente, pesquisadores ligados ao radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico, comunicaram a seus colegas a detecção de sinais de rádio estranhos vindos dessa pequena estrela anã vermelha a apenas 11 anos-luz da Terra.

O sinal consistiu em pulsos quase-periódicos, observados em 12 de maio e descobertos nos dados somente duas semanas depois. “Esse sinal não só se repetia com o tempo, mas também ia descendo pelo sintonizador do rádio, algo como um trombone indo de uma nova mais alta para uma mais baixa”, descreveu o astrônomo Seth Shostak, do Instituto SETI. “Isso era estranho, de fato.”

Diante do mistério, novas observações foram feitas por Arecibo no último domingo (16), em parceria com o Telescópio de Green Bank e o já mencionado Allen Telescope Array. Mas ainda não foram emitidas quaisquer conclusões sobre essas novas observações.

Ross 128 já esteve na lista de diversos programas de “escuta” SETI no passado, e nunca algo suspeito foi encontrado. Provavelmente, há uma explicação natural para essa nova descoberta — ou talvez a “clássica” interferência de rádio artificial vinda da Terra, que já “sabotou” tantos sinais promissores no passado. Mas, em ciência, nunca se pode tomar uma probabilidade por uma confirmação. É preciso checar. E os cientistas não estão perdendo tempo para fazer isso. Prometem analisar os novos dados até o final da semana.

“Claro que é possível que Ross 128 vá perder seu anonimato e se tornar o primeiro sistema estelar a mostrar boas evidências de inteligência extraterrestre”, provoca Shostak. “Mas é provável — pelo menos com base em experiências passadas — que iremos encontrar outra explicação, menos romântica, para o mistério que no momento envolve este objeto. Essa é, claro, uma ocorrência frequente para qualquer um que conduza exploração, e dificilmente é causa para desencorajamento; é, sim, um incentivo para continuarmos a busca.

® Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.


Visitantes On Line

 

Copyright® 2013 - 2017 Crônicas Procopenses

Todos os Direitos Resevados - Cornélio Procópio - Paraná